Editora Belas Letras lança o livro ‘A estrada para Woodstock’

Editora Belas Letras lança o livro ‘A estrada para Woodstock’

Em 16/07/2019
por Flávia Vidor

Celebrando os 50 anos do lendário festival de Woodstock (15/08/1969), a editora Belas Letras lança a versão em português do livro “A estrada para Woodstock”, escrito pelo idealizador e realizador do Festival, Michael Lang, o que faz da obra um retrato singular dos bastidores. O livro apresenta 88 fotos, muitas delas inéditas, e todos os setlists das bandas que subiram ao palco. O projeto gráfico foi desenvolvido pela ilustradora e designer Giovanna Cianelli.

Lang idealizou um festival, em agosto de 1969, em que o público pudesse chegar e ficar por alguns dias em meio à beleza da zona rural do estado de Nova York. No livro ele conta como foi o processo impressionante de planejamento e logística que o evento exigiu. Após escolher metodicamente sua equipe, ele contratou artistas talentosos, persuadiu agentes, promotores e populações locais, recebeu frotas de voluntários, construiu um festival da estaca zero e, no final, criou o evento cultural histórico que marcou época.

+ Janis Joplin | Biografia que inspirou o documentário da Netflix ganha edição especial

A estimativa inicial era de receber um público de 200 mil pessoas, o que acabou com o número de 700 mil. Com o volume inesperado de participantes, diversos contratempos aconteceram, o que o autor retrata ao longo da obra. Ausência de bilheterias, nascimentos, falecimentos, logística para alimentar quem não queria perder o lugar, aterramento do lixo produzido, sexo, drogas e rock and roll. Tudo isso em três dias de paz, música e muita chuva. “A quarta-feira foi mais um dia chuvoso, o que tornou algumas das últimas instalações elétricas muito arriscadas. O trailer perto do terminal de energia elétrica principal estava com as escadas ‘quentes’. Os eletricistas não conseguiram aterrar os degraus por alguma razão, então, toda vez que você pisava neles, tomava um choque”, conta o autor.

Para manter a ordem, cerca de 300 policiais contratados, acima de tudo, para respeitar a liberdade de expressão. “A polícia era parte de nossa estratégia para convencer as autoridades locais a nos deixar realizar o festival. Além de querermos os policiais como pacificadores, precisávamos deles para direcionar o trânsito e lidar com emergências médicas.”

Woodstock foi um Festival certo na hora certa e permanece como um “divisor de águas” na cultura pop.

Para quem comprar o livro até o dia 19 de agosto, a Editora Belas Letras preparou um kit para reviver Woodstock, incluindo marcador de páginas, cartões postais, bóton e pôster. O leitor pode fazer o pedido através da loja virtual  pelo valor de R$ 69,90.

Fonte: Belas Letras